Arquivo para a Tag ‘varanda

Garrafa 465 – Todo dia é dia!   Leave a comment

Ah! O outono! Noites e dias lindos, céu claro, temperaturas amenas, brisa refrescante, madrugadas silenciosas…

Depois de uma noite agradável de encontros familiares com mãe, irmã, filha, cunhado, sobrinhos e sobrinhas, nessa madrugada tive sonhos alvoroçados, coração inquieto, alma esvoaçante percorrendo lugares distantes em busca de pessoas mais ainda, mente confusa… Minha caneta era uma pena…

Despertei ainda no escuro e me levantei para dar prosseguimento às minhas leituras e, de presente, pude assistir da varanda a um belo amanhecer. Um pouco mais da metade da lua ainda visível em sua trajetória rumo ao poente, com seu corpo no formato em “D” cada vez mais decrescente, mas ainda não formalmente minguante que o será apenas no inicio da próxima semana… O azul surgindo da escuridão em um céu sem nuvens… E o calendário anunciando a data de aniversário de pessoas queridas, no dia do índio…

E me dou conta de que todo dia é aniversário de alguém, não só de alguma pessoa, mas também de um novo dia que é sempre único. Todo dia é aniversário de nascimento e morte desse único dia… Que nasce e morre para dar lugar a outro dia… Que nasce e morre para dar lugar a outro dia…

E todo dia é dia de viver.

Feliz Aniversário!

E a brisa da manhã sussurra ao meu ouvido:

que lindo dia!
mais um dia de festa,
de um novo dia!

Eduardo Leal
Foto de autor desconhecido
Instruções de utilização: Ouvir “Para Lennon & McCartney” na voz de Elis Regina

Todo dia é dia

Anúncios

Garrafa 459 – Poesia do cotidiano   2 comments

Com atitude amorosa:
Acordo cedo, leio, escrevo e medito.
Passo a maior parte do dia estabelecendo, mantendo e aprofundando relacionamentos saudáveis.
Realizo algumas caminhadas apreciando o céu, o mar, os pássaros, as árvores e as pessoas.
Vejo o mundo da varanda.
Ouço música.
Faço uma dieta de notícias.
Quando tenho fome, como.
Quando tenho sede, bebo.
Quando tenho sono, durmo.

Sou grato por isso!

Eduardo Leal
Foto de autor desconhecido

Poesia do cotidiano

Garrafa 270 – Vi o bem-te-vi   2 comments

Tenho mantido um relacionamento cordial com um bem-te-vi, desde que me mudei para o meu novo endereço e me tornei seu vizinho, no ano passado. Sua casa fica na pracinha arborizada que vejo, afortunado que sou, da minha varanda e pela janela do meu quarto.

Duas coisas me indicam a chegada de um novo dia: o olhar amoroso de minha companheira de vida, sempre ao meu lado, e o canto do bem-te-vi.

Ouço seu canto matinal, mas quase nunca o vejo, camuflado que fica entre as folhagens. Quando bem-nos-vemos, é motivo de celebração. Bem-te-vi! Bom dia!

vi o bem-te-vi
que bem-me-vê de manhã
bem-vindo dia!

Eduardo Leal
Foto de Eduardo Leal – A casa do Bem-te-vi
Instruções de utilização: Ouvir “I am the day” com Libera

%d blogueiros gostam disto: