Arquivo para a Tag ‘perdas

Garrafa 426 – Acesso garantido   Leave a comment

Nas últimas semanas, vários amigos e amigas sofreram perdas de pessoas queridas.

Com muito pouco a ser dito nesses momentos, ofereço meu abraço e minha presença, mesmo que às vezes, pelas grandes distâncias envolvidas, apenas de maneira virtual e espiritual.

Para os que ficam, quase sempre uma sensação de que estão cada vez mais sós, é o que vejo e ouço em alguns comentários e me compadeço da sua dor, que é minha também.

Para os que se vão, quem sabe as coisas não ficam mais claras, quando vistas de um plano superior? Ou não?

Um sopro de vento suspira ao meu ouvido:

ao grande mistério,
garantido acesso,
no cemitério…

Eduardo Leal
Foto de autor desconhecido

Cemitério visto do alto

Anúncios

Garrafa 256 – Salvem o salva-vidas!   Leave a comment

só quem já perdeu
sabe dar valor à vida
do salva-vidas…

Eduardo Leal
Foto de autor desconhecido

Publicado 30/06/2011 por Eduardo Leal em Fotografias, Haicai, Haikai, Haiku

Etiquetado com , , ,

Garrafa 153 – O Príncipe ConSorte   1 comment

Em nossas andanças pelo Japão, no início de 2008, tivemos diversas conversas sobre Deus e o significado da vida e da morte.
E após a visita ao jardim zen do templo Riyoji, em Kyoto, no shinkansen de regresso a Tokyo, a quase tezentos kilometros por hora, diversas perguntas ficaram sem resposta…
Por razões que desconhecemos, você se antecipou e foi ao encontro do grande mistério.
Sabe, agora, muito mais do que nós a esse respeito…
Nos deixou a todos, parentes e amigos do João Ricardo, apenas com muitos questionamentos e com as nossas melhores lembranças.
Mas gosto de pensar que, de onde está, se pudesse nos enviar alguma mensagem, ela seria algo do tipo:

A morte não é nada.
Apenas passei ao outro mundo.
Eu sou eu. Tu és tu.
O que fomos um para o outro ainda o somos.
Dá-me o nome que sempre me deste.
Fala-me como sempre me falaste.
Não mudes o tom a um triste ou solene.
Continua rindo com aquilo que nos fazia rir juntos.
Reza, sorri, pensa em mim, reza comigo.
Que o meu nome se pronuncie em casa
como sempre se pronunciou:
Sem nenhuma ênfase, sem rosto de sombra.
A vida continua significando o que significou:
continua sendo o que era.
O cordão de união não se quebrou.
Porque eu estaria fora de teus pensamentos,
apenas porque estou fora de tua vista?
Não estou longe,
somente estou do outro lado do caminho.
Já verás, tudo está bem.
Redescobrirás o meu coração,
E nele redescobrirás a ternura mais pura.
Seca tuas lágrimas e se me amas,
não chores mais.

Citação de autor desconhecido
Foto editada por Carlos Fernando Souza Leal

%d blogueiros gostam disto: