Arquivo para a Tag ‘luz

Garrafa 246 – Luz vermelha, sorriso amarelo   3 comments

falsas promessas…
mulher da luz vermelha,
sorriso amarelo!

Eduardo Leal
Foto de autor desconhecido

Garrafa 237 – Yang forte   1 comment

dentro do dia
a semente da noite
olhar sombrio

Eduardo Leal
Foto de autor desconhecido

Garrafa 236 – Ying forte   1 comment

dentro da noite
a semente do dia
brilho no olhar!

Eduardo Leal
Foto de autor desconhecido

Garrafa 235 – Manhã de outono   Leave a comment

moça bonita!
encolho a barriga
andando na praia…

Eduardo Leal
Cartoon de autor desconhecido

Garrafa 228 – Uma janela aberta   Leave a comment

espiritual
uma janela aberta
a luz no cristal

Eduardo Leal
Fotode autor desconhecido

Publicado 29/04/2011 por Eduardo Leal em Fotografias, Haicai, Haikai, Haiku

Etiquetado com , , , ,

Garrafa 214 – Palavras são janelas (ou são paredes)   4 comments

Sinto-me tão condenada por tuas palavras,
tão julgada e dispensada.
Antes de ir, preciso saber:
Foi isso que você quis dizer?
Antes que eu me levante em minha defesa,
antes que eu fale com mágoa ou medo,
antes que eu erga aquela muralha de palavras,
responda: eu realmente ouvi isso?

Palavras são janelas ou paredes.
Elas nos condenam ou nos libertam.

Quando eu falar e quando eu ouvir,
que a luz do amor brilhe através de mim.

Há coisas que preciso dizer,
coisas que significam muito para mim.
Se minhas palavras não forem claras,
você me ajudará a me libertar?
Se pareci menosprezar você,
se você sentiu que não me importei,
tente escutar por entre as minhas palavras
os sentimentos que compartilhamos.

Ruth Bebermeyer
Foto de autor desconhecido
Instruções de utilização: Ouvir “Nothing to say” na voz de Ian Anderson com Jethro Tull

Garrafa 182 – Mente tranquila   4 comments

Eu disse à minha alma, fica quieta, e espera sem esperança
Pois a esperança seria pela coisa errada; espera sem amor
Pois o amor seria amar a coisa errada; mas ainda há fé
Mas a fé, o amor e a esperança estão todos à espera.
Aguarda sem pensar, pois não estás pronta para pensar:
Assim a treva em luz se tornará, e a quietude, em dança.

I said to my soul, be still, and wait without hope
For hope would be hope for the wrong thing; wait without love
For love would be love of the wrong thing; there is yet faith
But the faith and the love and the hope are all in the waiting.
Wait without thought, for you are not ready for thought:
So the darkness shall be the light, and the stillness the dancing.

T. S. Eliot
Foto de Eduardo Leal – Lago do Pavilhão Dourado – Kyoto – Japão
Instruções de utilização: Ouvir “Be still my soul” com Libera

Garrafa 177 – O Fator Confiança   Leave a comment

Nosso medo mais profundo não é que sejamos inadequados para o cargo.
Nosso medo mais profundo é que sejamos excessivamente poderosos.
É nossa luz e não nossas sombras, o que nos amedronta.
Perguntamos a nós mesmos: quem somos nós para sermos brilhantes, maravilhosos, talentosos, fabulosos?
Na verdade, quem não devemos ser?
Vós sois filhos de Deus.
Ser humilde nos atos em nada serve ao mundo.
Não há nada de iluminado em retrair-se para que os demais não se sintam inseguros em vossa presença.
Nascemos para tornar manifesta a glória de Deus que está em nós.
E na medida em que deixamos nossa luz brilhar, inconscientemente damos aos demais permissão para que façam o mesmo.
Na medida em que nos libertamos de nossos medos, nossa presença liberta automaticamente os demais.
 
Fonte: A Return to Love – Marianne Williamson
Discurso de Posse de Nelson Mandela, 1984
Foto de autor desconhecido
 

Publicado 27/12/2008 por Eduardo Leal em Crenças

Etiquetado com , , ,

Garrafa 168 – Inscrição para uma lareira   Leave a comment

A vida é um incêndio: nela dançamos, salamandras mágicas.
Que importa restarem cinzas se a chama foi bela e alta?
Em meio aos toros que desabam, cantemos a canção das chamas!

Cantemos a canção da vida, na própria luz consumida…

Mário Quintana
Foto de autor desconhecido
Instruções de utilização: Ouvir “Ashes are burning” na voz de Annie Haslam com Renaissance

lareira

Garrafa 159 – A Justa Medida   2 comments

O excesso de luz, cega a vista.
O excesso de som ensurdece o ouvido.
Condimentos em demasia estragam o gosto.
O ímpeto das paixões perturba o coração.
A cobiça do impossível destrói a ética.

Por isto, o sábio, em sua alma,
determina a medida para cada coisa.

Todas as coisas visíveis lhe são apenas
setas que apontam para o invisível.

Lao Tsé
Ilustração de autor desconhecido

yin-yang

%d blogueiros gostam disto: