Arquivo para a Tag ‘folhas

Garrafa 433 – Ops! O Poder do Silêncio 8   Leave a comment

Quem acompanha o lançamento das minhas garrafas com mensagens, no mar da Internet, deve estar pensando que fiquei caduco, atrapalhado com a minha própria numeração… Garrafa 433, depois de ter lançado hoje cedo, a Garrafa 456?!! Que maluquice é essa?

Na verdade, fazendo um balanço do que já havia postado no BLOG, descobri outra falha de numeração, no mês de novembro do ano passado. Há uma Garrafa 432, lançada em 09/11/2013 e uma Garrafa 434, lançada em 10/11/2013. A Garrafa 433 ficou guardada em algum porão ou sótão da minha memória e não foi lançada…

Fiquei curioso e fui pesquisar, na minha agenda, o que andei fazendo naquela época, que poderia ter contribuído para essa confusão mental e não encontrei nada que pudesse justificar esse fato:

De um dia para o outro, sei apenas que estava relendo meu exemplar de “O Poder do Silêncio” de Eckhart Tolle. E, naquele período, estava compartilhando com alguns amigos do curso de Cabala, alguns insights a respeito. Vi também, que não concluí minha tarefa assumida de comentar, com o auxílio de algum haicai, todos os tópicos do Capítulo 1, conforme havia me comprometido na Garrafa 428 – O Poder do Silêncio 1.

Diante disso, tendo entrado em contato com a atmosfera daquele momento, retomo a tarefa transcrevendo mais um trecho que me chamou a atenção:

“… a calma e o silêncio são a própria inteligência, a consciência básica da qual provém todas a formas de vida.
…Essa consciência é a essência das galáxias mais complexas e das folhas mais simples…”

E encontro inspiração para mais um breve haicai:

criatividade,
essência da consciência,
em qualquer idade!

Eduardo Leal
Ilustração de autor desconhecido
Inspirado pela leitura de “O Poder do Silêncio” de Eckhart Tolle

Garrafa 349 – Acenos de mão   2 comments

Mais uma madrugada insone, pensamento disperso e, ao mesmo tempo, com a atenção volta e meia guiada pelos ruídos, vultos, sombras e luzes que entram pela janela do quarto, enquanto passam silenciosos os minutos e as horas…

Na lua nova, por três dias ela se torna escura e “desaparece” para renascer e ressuscitar, outra vez, em um novo ciclo.

Lua escura vagando noite adentro e em algum lugar escondida, céu sem nuvens e o Cruzeiro do Sul cintilando acima das árvores fracamente iluminadas pelos postes da pracinha… Sim, minha paisagem aponta para o sul! Sul do ego, sul da noite, sul do planeta, sul da galáxia, sul do Universo… E tão ao sul como um sultão, permaneço ao sul de mim mesmo.

As folhas de duas amendoeiras, algumas bem verdes e outras em diversos tons de marrom, que preservo na memória do dia que passou e que não volta mais, se destacam nessa paisagem noturna, todas agora em tons de cinza claro ou mais escuro.

Olhar desfocado no intervalo entre dois pensamentos, de repente a brisa fresca da madrugada de inverno move gentilmente as folhas das amendoeiras. E parece que uma multidão de mãos, em suave sincronia, acena silenciosamente pra mim do sul da noite, do sul do planeta… E percebo também que, às vezes, algumas folhas se desprendem e, parecendo ainda acenar, só que agora de maneira mais confusa, desaparecem na escuridão…

Quem serão essas pessoas? Porque me acenam na penumbra? O que podem querer me dizer? Amigos e amigas que conheci e nunca mais verei? Onde estarão e para onde irão? Parentes, parceiros e parceiras que se foram ou se vão? Amores que nunca terei?

Surpreendo-me acenando de volta, grito preso na garganta, gesto impensado com o coração sobressaltado… E me levanto silencioso, em busca de papel e lápis.

Pausa para um breve haicai…

folhas ao vento.
de pessoas que se vão,
acenos de mão…

Eduardo Leal
Foto de autor desconhecido
Instruções de utilização: Ouvir “Folhas ao Vento” na voz de Lanna Rodrigues

Garrafa 120 – Pelo correio   Leave a comment

na caixa do correio
meto a mão e encontro
quatro folhas secas

Eduardo Bacellar
Foto de Filomena Chito. Veja em: http://olhares.aeiou.pt/pelo_correio/foto1416220.html

Garrafa 4 – Contemplando o pessegueiro   Leave a comment

No vento da primavera,
as florescências do pêssego
começam a se destacar.

Dúvidas não fazem crescer
ramos e folhas.

Eihei Dogen
Foto de Luciano Lema
Instruções de utilização: Assistir ao vídeo “The Secret of Life” com Alan Watts

 Flor do pessegueiro - Luciano Lema

%d blogueiros gostam disto: