Arquivo para a Tag ‘fazer

Garrafa 532 – Reintegração de posse   Leave a comment

Ultimo dia do ano e ótimas expectativas de fim de um longo ciclo de cleptocracia, depois das ultimas eleições. O Estado deixa de ser governado por ladrões.

Amanhã, mais do que a cerimonia de posse de um novo presidente, trata-se de uma ação de reintegração de posse, de retomada do país por parte de seus cidadãos de bem, arrancando-o das garras de uma quadrilha ideológica. Diversos integrantes dessa corja já estão atrás das grades e outros estão a caminho.

Que os caminhos de nossa nação sejam iluminados pela luz da verdade e que possamos deixar um outro tipo de legado para nossos filhos e netos, um legado de democracia e liberdade.

Haverá muito que fazer e desfazer! Ao trabalho então!

Feliz Ano Novo!

Eduardo Leal

Anúncios

Garrafa 502 – O fazer é lei!   1 comment

Diz o provérbio oriental que:

“Do que eu ouço, me esqueço; do que eu vejo, me lembro, e o que eu faço eu sei!”

A milenar sabedoria oriental é confirmada pelo corpo de conhecimentos da Programação Neurolinguístca – PNL e ambos nos indicam que, além de complementaridade, há uma hierarquia entre os canais auditivo, visual e cinestésico, com nítida vantagem para esse ultimo, com relação à capacidade de retenção de informações e memórias e, consequentemente, também, com o nosso próprio processo de aprendizagem. Apesar da importância da imagem, que vale mais do que mil palavras, a ação repetida e a prática introjetam a experiência fazendo com que sua assimilação interior seja mais completa e  duradoura. O que eu faço eu sei!

É na prática que uma determinada teoria é comprovada e seus resultados vêm à luz do dia. É na ação que “malhamos os músculos” da memória e do aprendizado.

O aprender está no fazer!

Pausa para um breve haicai:

por onde andei,
aprender o que não sei,
o fazer é lei!

Eduardo Leal
Ilustração de autor desconhecido

O que eu faço eu sei

Garrafa 501 – Dono do próprio nariz!   Leave a comment

Na contramão de uma grande maioria que anseia apenas por ter! Obter! Possuir! Descobrir o impulso da própria semente!

Ser independente, livre, e capaz de assumir a responsabilidade pelos próprios atos são alguns dos requisitos para que se possa empreender a instigante jornada do autodesenvolvimento, passando pelo autodescobrimento, sem a qual ninguém chega a lugar nenhum que seja valioso e verdadeiro.

Autodescobrir-se para autodesenvolver-se!

Mas, quem sou eu? De que sou feito? Qual o impulso e intenção da minha própria semente? Autodescobrimento!

E, a partir daí, conhecendo essa intenção e impulso seminal, dar-lhe livre expressão e desenvolvimento. Autodesenvolvimento!

O descobrir-se! O simplesmente ser! Antes do fazer, e antes do ter!

Só assim o nosso fazer poderá estar alinhado com a intenção da própria semente, o nosso propósito!

Pausa para um breve haicai:

para ser feliz,
de ser dono não preciso.
tenho meu nariz!

Eduardo Leal
Ilustração de autor desconhecido

Nariz

Garrafa 402 – Inciativa e Liderança   Leave a comment

Relendo o clássico “A Lei do Triunfo” de Napoleon Hill, na lição sobre Inciativa e Liderança, encontrei interessante citação de Elbert Hubbard, escritor, editor, artista e filósofo americano. Hubbard, que descrevia a si mesmo como um anarquista e um socialista, morreu junto com sua segunda esposa, no início do século XX, em 1915, durante a Primeira Guerra Mundial, quando o navio em que se encontrava, o RMS Lusitania, afundou após ser torpedeado pelo submarino alemão U-20, na costa da Irlanda.

Entre suas diversas publicações, uma pequena história é bastante conhecida e também está relacionada ao tema da iniciativa, a “Mensagem a Garcia”. E algumas pessoas lhe atribuem a também famosa citação “Quando a vida lhe traz limões, faça uma limonada.”

Transcrevo abaixo a citação feita por Hill, sem saber ao certo de que publicação de Hubbard ela foi retirada.

“O mundo concede os seus grandes prêmios, tanto em dinheiro como em honras, em troca de uma coisa, apenas: a iniciativa.
E que é iniciativa? A iniciativa consiste em fazer o que é preciso, sem ser necessário que alguém nos mande.
Em seguida, vêm aqueles que fazem o que é preciso, bastando para isso que se lhes diga uma vez. Porém os que levam a mensagem adquirem honras elevadas, mas o pagamento nem sempre é proporcionado.
Vem depois os que não fazem o que é preciso senão quando a necessidade a isso os obriga. Esses recebem a indiferença e uma paga mesquinha.
Finalmente, ainda mais abaixo na escala, temos o indivíduo que não faz nada direito, mesmo que alguém lhe mostre a maneira de fazer e o fique observando; está sempre desempregado, e é tratado com o desdém que merece, a menos que tenha um pai rico e, nesse caso, o destino fica pacientemente à sua espera.
A que classe pertenceis?”

Pergunta poderosa – que provoca reflexão – e merece resposta após cuidadoso exame de consciência, fecha a citação.

Pausa para um breve haicai:

líder e sequaz
um segue, o outro faz!
e você, meu rapaz?

Eduardo Leal
Ilustração de autor desconhecido

Iniciativa

Garrafa 308 – Tempo precioso   Leave a comment

mas o que fazer
com o precioso tempo
que nos foi dado?

Eduardo Leal
Inspirado no livro “O convite” de Oriah
Foto de autor desconhecido
Instruções de utilização: Ouvir “Time” com Pink Floyd

Publicado 17/04/2012 por Eduardo Leal em Filosofia, Fotografias, Haicai, Haikai, Haiku, Livros, Música

Etiquetado com , , , , , ,

Garrafa 229 – Estar presente   Leave a comment

estar presente,
por trás de cada fazer,
querer ser o Ser…

Eduardo Leal
Foto de autor desconhecido

Publicado 03/05/2011 por Eduardo Leal em Fotografias, Haicai, Haikai, Haiku

Etiquetado com , , ,

Garrafa 205 – Perguntas poderosas   Leave a comment

O que eu preciso SER?
Preciso ser eu mesmo.
Quem é esse?

O que eu preciso FAZER?
Preciso observar e questionar.
O quê, especificamente?

O que eu preciso TER?
Preciso ter entendimento.
O que é isso que eu ainda não entendo?

Michael Ray e Rochelle Myers
Ilustração de autor desconhecido

%d blogueiros gostam disto: