Arquivo para a Tag ‘exploração

Garrafa 524 – Arte de viver   Leave a comment

Estou apreciando a leitura e a vivência do processo apresentado no livro de Julia Cameron “O Caminho do Artista”, publicado pela Editora Sextante. A proposta é liberar eventuais bloqueios criativos que todos podemos apresentar em algum momento, seguindo um conjunto de praticas e exercícios distribuídos ao longo de 12 semanas.

Por conta disso, como costumo fazer quando estou explorando algum assunto, reli outros livros sobre o tema da criatividade, entre eles “Criatividade nos negócios” de Michael Ray e Rochelle Myers, publicado pela Editora Record.

Foi nessa ultima publicação que encontrei um breve haicai parido em 02 de agosto de 2009, e ainda não postado em nenhum dos meus blogs.

Faço isso agora e compartilho uma antiga crença de que, em grande medida, tudo está em nossas próprias mãos:

é nossa missão
fazer da própria vida
obra de arte.

Eduardo Leal
Ilustração de autor desconhecido

Em suas mãos

Garrafa 156 – O Explorador   1 comment

We shall not cease from exploration
and the end of all our exploring
will be to arrive where we started
and know the place for the first time.
Não devemos parar de explorar
e o fim de toda a nossa exploração
será chegar onde partimos
e conhecer o lugar pela primeira vez.
T. S. Eliot
Foto de autor desconhecido
explorador

Garrafa 60 – Olhando na mesma direção   Leave a comment

Dois amantes comuns que são solitários sempre olham um para o outro; dois amantes verdadeiros, numa noite de lua cheia, não estarão se olhando.
Eles podem estar de mãos dadas, mas estarão olhando a lua cheia bem alta no céu.
Não estarão olhando um para o outro, estarão juntos olhando algo mais.
Às vezes estarão escutando juntos a uma sinfonia de Mozart ou Beethoven ou Wagner.
Às vezes estarão sentados ao lado de uma árvore e apreciando o tremendo ser da árvore envolvendo-os.
Às vezes podem estar sentados ao lado de uma cachoeira escutando a música selvagem que está continuamente sendo criada.
Às vezes, perto do mar, ambos estarão olhando para a mais longínqua possibilidade que os olhos possam alcançar.

Sempre que duas pessoas solitárias se encontram, olham uma para a outra, porque estão constantemente buscando modos e meios de explorar o outro: como usar o outro, como ser feliz através do outro.

Mas duas pessoas que estão profundamente contentes consigo mesmas não estão tentando usar uma à outra.
Em vez disso, tornam-se companheiras de viagem; se movem numa peregrinação.
A meta é alta, a meta está distante. Seus interesses comuns as unem.

Osho
Foto de autor desconhecido

Olhando na mesma direção

%d blogueiros gostam disto: