Arquivo para a Tag ‘desconforto

Garrafa 469 – Vizinhança canina   1 comment

um cão sem sono,
no silêncio da noite,
fica meu dono…

Eduardo Leal
Foto de autor desconhecido

Ruídos noturnos

Garrafa 428 – O Poder do Silêncio 1   1 comment

Em um curso de Cabala de que estou participando, nos foi proposto um pequeno exercício, em duplas ou a três, para identificação de algumas áreas de desafio que apresentam situações desconfortáveis que desejamos trabalhar no momento atual. No meu caso, meus dois parceiros de investigação mencionaram que se sentem desconfortáveis em ficar em silêncio. Inicialmente não tinha incluído essa opção na minha lista mas, como o Universo nos sinaliza como um espelho aquilo que nós também precisamos enfrentar, assumi essa tarefa pra mim também.

Combinamos trocar experiências durante a semana, para avaliar nosso progresso e dificuldades encontradas e compartilhei com os amigos uma dica de leitura que conheci em 2010. Trata-se de “O Poder do Silêncio” de Eckhart Tolle, publicado pela Sextante.

Por conta desse exercício, assumi comigo mesmo a tarefa de publicar diariamente aqui no Blog, um pequeno extrato de cada uma das citações ou aforismos (como pequenos sutras, como o próprio autor os define) apresentados por Tolle no Capítulo 1. São os trechos que mais me chamaram a atenção, acompanhados de um breve haicai inspirado após uma silenciosa introspecção.

“A calma é nossa natureza essencial. O que é calma? É o espaço interior ou a consciência onde as palavras… são assimiladas e se transformam em pensamentos. Sem essa consciência, não haveria percepção, não haveria pensamentos nem mundo.
Você é essa consciência em forma de pessoa.”

Pausa para um breve haicai:

um lago profundo,
consciência do mundo,
num calmo segundo…

Eduardo Leal
Foto de autor desconhecido
Inspirado pela leitura de “O Poder do Silêncio” de Eckhart Tolle

Lago profundo

Garrafa 407 – Nosso lado sombrio   4 comments

Tenho andado às voltas com o conceito de tikun, mencionado em um curso sobre Cabala de que estou participando e em um livro que terminei de reler – “O Poder da Kabbalah” de Yehuda Berg.

Segundo os cabalistas, a lei do tikun, que significa literalmente correção, nos diz que cada um de nós vem a esse mundo para consertar e corrigir alguma coisa. Essa questão pode estar relacionada a qualquer aspecto do nosso comportamento que seja automaticamente reativo ou egoísta ou a padrões repetitivos que nos limitam ou bloqueiam (dinheiro, pessoas, saúde, amizades, relacionamentos, etc.). E uma das pistas para identificá-la é verificar tudo que nos seja particularmente difícil e desconfortável (pessoas que nos incomodam, situações em que nos sentimos constrangidos, ofendidos, irritados ou aborrecidos, etc.). Nessa tarefa somos ajudados pelo Universo que funciona como um grande espelho refletindo nosso tikun de volta pra nós e permitindo a elevação do nosso nível de consciência, quando fazemos a correção.

Meu processo de busca por mais informações me levou a reler “O Efeito Sombra – Encontre o Poder Escondido na sua Verdade” de Deepak Chopra, Debbie Ford e Marianne Williamson, onde tropecei nesse trecho instigante que tinha passado despercebido na primeira leitura:

“Se você não pode enxergar a própria sombra, precisa procurá-la. A sombra se esconde na vergonha, nos becos escuros, nas passagens secretas e nos sótãos fantasmagóricos de sua consciência. Ter um lado sombrio não é possuir uma falha, mas ser completo.”

Pausa para um breve haicai.

meu lado sombrio,
passagens secretas… que
eu mesmo crio!

Eduardo Leal
Foto de Maria Diniz – Efeitos de Luz e Sombra

Efeitos de Luz e Sombra

Garrafa 366 – Leste é Oeste!   Leave a comment

Durante a releitura de “Zen no trabalho”, de Les Kaye, fiquei surpreso quando li que Huston Smith, no Preâmbulo, afirmou que o livro atenderia a uma necessidade específica: ao ser introduzido nos Estados Unidos neste século (o livro foi lançado por lá em 1977), o budismo retomou a marcha a leste que primeiro o levou à China, depois à Coreia e ao Japão.

Como? Marcha a leste?

Minha mente cartesiana, que imediatamente associa o Continente Americano ao Ocidente/Oeste e não ao Oriente/Leste acionou um alarme cognitivo que me provocou algum desconforto.

O Japão é conhecido como Terra do Sol Nascente e sabemos que o sol nasce a leste… Mas o Continente Americano fica a oeste…

Mas o desconforto durou pouco. É claro! O Arquipélago do Havaí fica a leste do Japão. E o Continente Americano a leste do Arquipélago do Havaiano. E os Continentes Europeu e Africano ficam a leste do Continente Americano…

O sol nasce antes nas terras que ficam a leste! E rumando sempre para leste… Chegamos ao que convencionamos chamar de oeste!

Nunca tinha pensado sobre isso dessa maneira… Ok! O mapa não é o território!

Pausa para um breve haicai:

Norte é Sul,
Leste é Oeste! ah!
são só convenções…

Eduardo Leal
Ilustração de autor desconhecido

Mundo invertido

Garrafa 262 – Grave decisão   1 comment

Algumas ostras “abraçam” o sofrimento e desconforto causados pela presença incômoda de um grão de areia no interior de sua concha, envolvendo-o em sucessivas camadas de acolhimento.

O resultado é uma pérola de amorosa beleza!

E isso é uma escolha!

grave decisão
minha ostra-coração
pérola ou não?

Eduardo Leal
Foto de autor desconhecido

Garrafa 109 – Morre lentamente…   1 comment

Morre lentamente quem não viaja,
quem não lê,
quem não escuta música,
quem não acha encanto em si mesmo.

Morre lentamente
quem destrói seu amor próprio;
quem não se deixa ajudar.

Morre lentamente,
quem se transforma em escravo do hábito,
repetindo todos os dias os mesmos caminhos,
quem não muda de rotina,
não se arrisca a vestir uma nova cor
ou não conversa com quem não conhece.

Morre lentamente
quem evita uma paixão
e seu redemoinho de emoções;
aquelas que resgatam o brilho dos olhos
e os corações descaídos.

Morre lentamente
quem não muda quando está insatisfeito
com seu trabalho ou com seu amor,
quem não arrisca o seguro pelo incerto,
para ir atrás de um sonho,
quem não se permite,
pelo menos uma vez na vida,
fugir de conselhos sensatos….

Viva hoje!
Arrisque hoje!
Faça hoje!

Não se deixe morrer lentamente!
Não se esqueça de ser feliz!

Pablo Neruda
Pintura de salvador Dali

%d blogueiros gostam disto: