Arquivo para a Tag ‘acolhimento

Garrafa 442 – Acendendo as luzes   Leave a comment

Durante a retomada da leitura de “A Idade dos Milagres – Valorizando a Maturidade” de Marianne Williamson, um trecho que anteriormente tinha passado despercebido, agora me chama a atenção:

“Não existe nada mais satisfatório na vida do que o sentimento de tomar posse de si mesmo. Você não tem mais medo de que alguma fração ainda não integrada à sua personalidade separe-se de você. Finalmente você tem um lar. Explorou todos os quartos, acendeu todas as luzes e tomou posse.”

Bela metáfora do trabalho com a sombra, de explorar todos os cômodos da casa, de abrir aquelas portas que têm permanecido fechadas por muito tempo. De acender as luzes para explorar esse território deliberadamente esquecido e tomar posse de si mesmo, com tudo de luminoso e sombrio que há para ser visto e acolhido.

Pausa para um breve haicai:

nos quartos escuros,
tomando posse de mim,
acendendo luzes…

Eduardo Leal
Foto de autor desconhecido

Garrafa 262 – Grave decisão   1 comment

Algumas ostras “abraçam” o sofrimento e desconforto causados pela presença incômoda de um grão de areia no interior de sua concha, envolvendo-o em sucessivas camadas de acolhimento.

O resultado é uma pérola de amorosa beleza!

E isso é uma escolha!

grave decisão
minha ostra-coração
pérola ou não?

Eduardo Leal
Foto de autor desconhecido

Garrafa 170 – A pergunta mais importante para a humanidade   2 comments

Acho que a questão mais importante para a humanidade hoje em dia é “Será o universo um lugar amistoso?”. Essa é a primeira e mais básica de todas as perguntas que as pessoas devem se fazer.

Porque, se decidirmos que o universo é um lugar ameaçador, então usaremos a nossa tecnologia, nossas descobertas científicas e nossos recursos naturais para criar segurança e poder, construindo altas muralhas para afastar a ameaça, e criar também grandes armas que destruirão tudo que é ameaçador – e eu acredito que estamos chegando a um ponto em que a tecnologia é suficientemente poderosa para nos possibilitar isolar completamente ou destruir a nós mesmos nesse processo.

Se decidirmos que o universo não é acolhedor nem ameaçador e que Deus está basicamente “jogando dados com o universo”, então somos simplesmente vítimas do processo aleatório de dados e nossas vidas não tem nenhum objetivo ou significado real.

Mas, se decidirmos que o universo é um lugar acolhedor, então usaremos toda a nossa tecnologia, nossas descobertas cientificas e recursos naturais para criar ferramentas e modelos que nos ajudarão a compreender esse universo. Porque o poder e a segurança virão pela compreensão dos seus mecanismos e motivos.

Albert Einstein
Foto de Autor desconhecido
Instruções de utilização: Ouvir “Can you anderstand” na Voz de Annie Haslam com Renaissance

Pergunta importante

%d blogueiros gostam disto: