Garrafa 507 – Eleições Municipais de Outubro de 2016   Leave a comment

Não voto em candidatos de partidos que fazem parte do famigerado Foro de São Paulo. Isso inclui quaisquer candidatos dos partidos listados a seguir:

1. Partido Democrático Trabalhista – PDT
2. Partido Comunista do Brasil – PC do B
3. Partido Comunista Brasileiro – PCB
4. Partido Patria Livre – PPL
5. Partido Popular Socialista – PPS
6. Partido Socialista Brasileiro – PSB
7. Partido dos Trabalhadores – PT

São todos os sem-noção que repetem a mentira descarada do “Golpe” com a maior cara de pau e atitude hipócrita possíveis. São aqueles que, na minha opinião, melhor se enquadram no modelo descrito pelos escritores Plinio Apuleyo Mendoza (Colombiano), Carlos Alberto Montaner (Cubano) e Álvaro Vargas Llosa (Peruano) em seus dois livros sobre a situação política na América Latina. O mais antigo, de cerca de vinte anos atrás, é o “Manual do perfeito idiota latino-americano”. E o mais recente, de 2007, é “A volta do idiota”.

Apresento a seguir um breve resumo das principais ideias contidas nos dois livros, com as quais estou totalmente de acordo:

Ao longo do todo o Século XX, principalmente na sua segunda metade, pretensos líderes populistas da América Latina, que os três autores chamam de “Idiotas” levantaram bandeiras marxistas, praguejaram contra o imperialismo e prometeram tirar seus povos da pobreza. Sem excessão, todas essas políticas e ideologias fracassaram. E, ao contrário do que anunciaram e pretendiam, contribuíram fortemente para a manutenção da situação de subdesenvolvimento preexistente em toda a região.

Já no início do Século XXI, uma nova geração de “revolucionários” tentou ressuscitar os métodos ineficazes de seus antecessores. E essas criaturas ao mesmo tempo sinistras e risíveis se identificam com caudilhos, figuras autoritárias quase sobrenaturais que têm dominado a política da região, vociferando contra a influência estrangeira e as instituições republicanas. Também projetam a luta de classes entre os ricos e os pobres para o terreno das relações internacionais, idolatram o Estado como uma força redentora dos pobres, e defendem o autoritarismo sob a desculpa de segurança. Adotam o clientelismo, uma forma de paternalismo pela qual os empregos públicos – e não a geração de riqueza – são os canais de mobilidade social e, é claro, uma forma de manter o voto cativo nas eleições.

Também não voto em candidatos do PSOL, partido que não faz parte do Foro de São Paulo, por achar que o modelo proposto por Gramsci não é a melhor solução (chegar ao poder pelas urnas, fazer o diabo para se manter no poder, e ir alterando a legislação progressivamente para que o país se torne uma republiqueta autoritária de modelo cubano ou similar – vide o caso da Venezuela). Seus integrantes preferem a velha fórmula, que não foi bem-sucedida, quando tentada nas democracias ocidentais, da via revolucionária. Por isso, apoiam ações de movimentos tais como os “Black Blocs”, de depredação de patrimônio público e agitação generalizada, pois isso se ajusta às suas intenções nem sempre claramente declaradas. Mas se percebe isso claramente, se dermos uma boa olhada no programa desse partido, com olhos mais atentos e, principalmente, se observarmos o comportamento dessas criaturas e não apenas o seu discurso. Esse Freixo, um frouxo, não tem coragem de dizer publicamente o que realmente pensa, com medo da natural rejeição da população mais esclarecida, mas age de acordo. E engana muita gente bem intencionada com sua conversa de justiça social e igualdade, quando o que realmente deseja é o controle estatal, a restrição de liberdade e a implantação de um regime autoritário. O próprio nome do partido “Socialismo e Liberdade”, já é uma tremenda piada de mau gosto, mas ainda seduz muitos incautos e inocentes úteis. Onde quer que tenham sido implantados de verdade, a primeira coisa que os regimes socialistas fizeram foi eliminar a liberdade das pessoas. Só não vê quem não quer, ou não lê os bons livros de história contemporânea.

Não vou me estender dizendo o que penso sobre cada uma das outras legendas existentes, mas o fato é que, em alguma medida, todas elas se associaram e orbitaram no entorno do que houve de pior na nossa história recente, os governos populistas do PT, partido fundador do Foro de São Paulo. Fazendo acordos de conveniência em torno de cargos e de exercício de influência, além de recebimento de mesadas e propinas, apoiaram essa verdadeira quadrilha de malfeitores comandada pelo ex-presidente Lula. Desejo que ele seja julgado e condenado, muito em breve, se as instituições da justiça continuarem funcionando de alguma maneira no Brasil.

Muitos dos meus amigos falam em voto útil, e respeito suas opiniões. Será motivo de tristeza profunda, se a população tiver que decidir entre Crivella ou Freixo, como parece que será a disputa no segundo turno, segundo algumas pesquisas de ultima hora. Será? Então, sugerem o voto útil em Pedro Paulo, Osório, Indio, etc.

Cansei dessa história. Prefiro votar em uma alternativa que me parece congruente com minhas crenças e valores e que vejo estampadas no programa e nas propostas do Partido Novo. Infelizmente, as chances de vitória de sua candidata à Prefeitura são remotas. Mesmo assim, os candidatos desse partido merecerão o meu voto. Desejo que continuem merecendo a minha confiança, depois de eleitos, os que assim o forem. Dos demais, já vi o suficiente. E o que vi não me agradou.

Nos vemos depois da apuração!

Abraço apertado!

Eduardo Leal

Ilustração de autor desconhecido

urna-eletronica

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: