Arquivo para 17/07/2014

Garrafa 482 – Desapontado (Bem-vinda desilusão)   Leave a comment

Ao contrário do que muita gente pode pensar, apesar da dor, e talvez por causa dela, sofrer uma desilusão pode ser uma das situações mais transformadoras que podem acontecer com uma pessoa, uma equipe ou um país que estejam verdadeiramente interessados no seu autodesenvolvimento.

Pensem nisso: ESTÁVAMOS ILUDIDOS! A CBF e a Comissão Técnica muito mais que a nossa torcida.

Em princípio, não há nenhum problema em perdermos para a Alemanha em uma semifinal de Copa do Mundo. Mas um placar de 7 X 1, com cinco gols sofridos em menos de 30 minutos evidenciou um desnível muito grande entre as duas equipes, o que não era esperado para uma seleção que pretendia o hexacampeonato. É um indicador que não pode ser desprezado e inclui diversas variáveis tangíveis e intangíveis.

E permanecer iludido por um longo período a respeito de si mesmo ou a respeito do ambiente onde estamos inseridos é o pior que pode acontecer com uma pessoa, uma equipe ou um país em sua caminhada de crescimento e desenvolvimento!

A hora da verdade chega, mais cedo ou mais tarde… Seja qual for o indicador utilizado. Mas sempre chega! E quanto mais cedo melhor! E isso, além de gerar uma situação de crise é, também, uma grande oportunidade.

O fato de termos vencido cinco competições no passado nunca foi garantia de nada. Isso é um jogo! Há vários fatores envolvidos: equipes, gramado, arbitragem, torcidas, estado psicológico dos envolvidos, etc… Outras equipes aprenderam conosco e se estruturaram melhor do que nós para enfrentar esse desafio multidisciplinar.

E o fato de termos vários talentos individuais, cobiçados e pagos a peso de ouro por centros esportivos mais bem estruturados, também não nos garante muita coisa, quando se trata de uma competição por seleções, de um esporte coletivo como o futebol, em que é necessário o desenvolvimento de uma verdadeira equipe e não apenas um bando de bons talentos individuais reunidos de maneira apressada.

E, infelizmente, aparentemente não temos técnicos de qualidade e reconhecidos mundialmente, caso contrário também estariam brilhando no exterior como o fazem nossos jogadores.

Teremos que reestruturar praticamente tudo.

E apesar de possuirmos agora vários centros esportivos modernos (infelizmente todos superfaturados à sombra de tenebrosas e escusas transações), não dispomos de uma mínima estrutura à disposição dos diversos clubes e divisões de base, que é onde tudo começa. E isso exige esforço organizado. Mais do que só planejamento de curtíssimo prazo, exige um choque de gestão e de planejamento a médio e longo prazos. Mas choque de gestão como, com a nossa ridícula safra de cartolas, com raras e honrosas exceções, em todos os escalões do esporte?

Infelizmente, a mesma crença ilusória que nos damos conta foi adotada pela nossa seleção (a hora da verdade chegou!) ainda está iludindo a vários de nós individualmente, a várias equipes dos nossos campeonatos estaduais, a várias empresas e organizações e ao nosso próprio país! Estamos iludidos há muito tempo!

Que esse desapontamento e essa desilusão transformadora sirvam para uma oportuna reflexão a respeito do necessário estabelecimento dos nossos mais valiosos e verdadeiros objetivos e metas, em cada área de atividade, e que, a partir disso, sejam estabelecidos planos, estratégias e ações de desenvolvimento, com o apoio de pessoas capacitadas e competentes para essa tarefa, de ficha limpa e idôneas, e demos partida nas ações de desenvolvimento que se estenderão por décadas, até que os primeiros resultados possam aparecer no futuro.

Mãos à obra, então!
Bendita desilusão!

O vento fresco dessa tarde de inverno sopra ao meu ouvido um breve haicai:

desapontado,
percebo novo rumo
nunca apontado…

Eduardo Leal
Foto de autor desconhecido

Desapontado

Garrafa 481 – Triste por Cuba   Leave a comment

Quantas gerações serão necessárias para que os integrantes do povo cubano, especialmente aquelas pessoas que só conhecem essa ditadura sangrenta a que estão submetidas, possam ter um vislumbre do que pode ser uma vida com liberdade e democracia de verdade?

Enquanto isso, pessoas estúpidas, ingênuas ou de má fé, pretendem que essa infeliz experiência cubana seja o modelo que desejam implantar no nosso país, nos próximos anos!

Só não vê quem não quer. É uma das definições de estupidez, ingenuidade e/ou de má fé: conhecer a verdade, ouvir a verdade, ver a verdade, mas ainda assim dizer acreditar na mentira.

Enquanto a Chefe do Poder Executivo do nosso país recebe em sua residência os ditadores cubano e venezuelano, toco minha tuba:

triste por Cuba,
nessa grande suruba…
toco minha tuba!

Eduardo Leal
Foto de autor desconhecido e pintura de Phil Goodrich “Cuba Tuba”

Triste por Cuba

Cuba Tuba

%d blogueiros gostam disto: