Arquivo para novembro 2013

Garrafa 443 – Contra a correnteza   Leave a comment

Pode parecer contraditório para algumas pessoas, mas entendo que “nadar contra a correnteza, em direção à nascente do rio” não é a mesma coisa que “lutar contra a correnteza”. Podemos sempre encontrar caminhos de menor resistência, onde nossa própria força é mais que suficiente pra vencer a corrente existente.

O salmão salta no ar e, quem sabe, pode até contar com um ventinho a favor…

Não luto mais contra coisa alguma. Prefiro agir em favor do que considero importante. Aquilo a que opomos resistência ganha força! Sigo na direção que escolhi e, se alguém resolver me atacar por causa dessa escolha, me defendo…

Ao invés de “lutar contra” a corrupção, podemos “agir em favor” da honestidade (até mesmo prendendo corruptos, dentro da lei)…

Ao invés de “lutar contra a violência”, podemos agir em favor da paz (até mesmo prendendo guerrilheiros e terroristas, dentro da lei)…

Ao invés de “lutar contra” a doença, podemos “agir em favor” da saúde…

Ao invés de “lutar contra” a miséria, podemos “agir em favor” da prosperidade…

A energia flui para onde a atenção está! E ela deve estar em descobrir a nossa verdadeira natureza e, com congruência, em agir de acordo.

Pausa para um breve haicai:

um salmão em mim,
contra a correnteza,
vai até o fim…

Ou, em uma versão estendida, para um poema curto:

um salmão em mim,
contra a correnteza,
o mundo enfim…

um salmão em mim,
vai até o fim…

Eduardo Leal
Foto de autor desconhecido

Anúncios

Garrafa 442 – Acendendo as luzes   Leave a comment

Durante a retomada da leitura de “A Idade dos Milagres – Valorizando a Maturidade” de Marianne Williamson, um trecho que anteriormente tinha passado despercebido, agora me chama a atenção:

“Não existe nada mais satisfatório na vida do que o sentimento de tomar posse de si mesmo. Você não tem mais medo de que alguma fração ainda não integrada à sua personalidade separe-se de você. Finalmente você tem um lar. Explorou todos os quartos, acendeu todas as luzes e tomou posse.”

Bela metáfora do trabalho com a sombra, de explorar todos os cômodos da casa, de abrir aquelas portas que têm permanecido fechadas por muito tempo. De acender as luzes para explorar esse território deliberadamente esquecido e tomar posse de si mesmo, com tudo de luminoso e sombrio que há para ser visto e acolhido.

Pausa para um breve haicai:

nos quartos escuros,
tomando posse de mim,
acendendo luzes…

Eduardo Leal
Foto de autor desconhecido

Garrafa 441 – Déjà vu   1 comment

Fazia muito tempo que não lhe batia uma saudade tão grande!
Saudade salgada! De travar a língua!
Saudade doce sentia todo dia…

Naquele dia foi diferente.

Um passeio matinal por algumas ruas da cidade, disparou na memória aquela intensa sensação de “déjà vu”…
Lugares sagrados em cada bairro, em cada esquina, verdadeira mina…

E todos os caminhos levavam ao mar… Um mar de lágrimas?

A pequena embarcação há muito havia partido. No atracadouro, no espaço vazio, reflexos do sol na água, como diamantes.

Melhor usar óculos escuros…

O vento marinho pareceu sussurrar em seus ouvidos um breve haicai:

como dois amantes,
estivemos aqui antes…
choro diamantes.

Eduardo Leal
Foto de autor desconhecido
Instruções de utilização: Ouvir “Déjà vu” Com Crosby, Stills, Nash & Young

choro diamantes

Garrafa 440 – Seguindo rastros   Leave a comment

sigo este rastro.
se não deste mundo,
quem sabe do outro?

Eduardo Leal
Foto de autor desconhecido

Garrafa 439 – Instante instigante   Leave a comment

Em nosso referencial pessoal de espaço-tempo, temos a sensação de que o passado já se foi, de que o futuro ainda não chegou e de tudo o que temos é o aqui e agora.

Interpretações da física quântica, entretanto, nos apontam para a possibilidade de que passado, presente e futuro possam coexistir no mesmo instante, seja lá o que isso venha a ser…

De qualquer maneira, gosto de pensar que aprendendo com nosso passado, a cada instante, com cada uma de nossas escolhas, criamos novas possibilidades de futuro.

E a pergunta poderosa de aprendizado ecoa com frequência na minha mente tagarela, desde que a ouvi pela primeira vez, no ano de 2006:

O que você escolhe fazer diferente, da próxima vez?

Pausa para um breve haicai:

sempre instigante,
novas possibilidades,
a cada instante…

Eduardo Leal
Foto de autor desconhecido

Garrafa 438 – Vida que segue…   Leave a comment

sem garantias,
só possibilidades…
sangue nas veias!

Eduardo Leal
Ilustração de autor desconhecido

Garrafa 437 – O Poder do Silêncio 7   Leave a comment

Conforme compromisso assumido anteriormente comigo mesmo, destaco mais uma citação de “O Poder do Silêncio” em que Eckhart Tolle nos aponta um caminho:

“A verdadeira inteligência atua silenciosamente. A calma é o lugar onde a criatividade e a solução dos problemas são encontradas.”

Pausa para um breve haicai:

silêncio na alma…
calma inteligência,
falta de nada.

Eduardo Leal
Foto de autor desconhecido
Inspirado na leitura de “O Poder do Silêncio” de Eckhart Tolle

%d blogueiros gostam disto: