Garrafa 378 – Campeonato Mundial de Surf na Barra – Final 2013   Leave a comment

Terminou um pouco depois do meio-dia de hoje a etapa Rio do Campeonato Mundial de Surf com a vitória do sul-africano Jordy Smith na bateria final contra Adriano de Souza, o Mineirinho, que ficou em segundo lugar. Com esse resultado mineirinho assume o primeiro lugar do ranking mundial.

Em cada uma das duas semifinais, Adriano venceu a Gustavo Medina em bateria emocionante, disputada onda a onda e Jordy venceu com facilidade a Mick Fanning.

Entre as principais atrações estrangeiras, de quem se podia esperar melhor desempenho nessa etapa, Kelly Slater chegou até as quartas de final, mas foi batido pelo próprio Adriano e Joel Parkinson não passou da terceira rodada. Outros nomes se destacaram dessa vez.

Um bom público lotou as areias da Barra da Tijuca, ontem e hoje, jovens em sua maioria, levando seu apoio aos semifinalistas brasileiros Adriano de Souza e Gustavo Medina. Mas só um deles poderia participar da final, pelo arranjo da tabela. Os dois deram o melhor de si e abrilhantaram os dois últimos dias de competições.

As notas dissonantes de tudo que vi e ouvi, nas últimas semanas, foram duas:

1. Um vândalo, aparentemente de ontem para hoje, rasgou parcialmente a lona plástica onde os resultados da competição eram registrados e podiam ser consultados por quem passava na calçada em frente ao palco principal do evento. Não chegou a destruir completamente o marcador, mas deixou a sua marca antissocial dificultando a leitura de resultados da quinta rodada e das quartas de final;
2. No momento da premiação, um pequeno grupo de jovens que estava a uns poucos metros de onde me encontrava, gritou palavras depreciativas ao campeão sul-africano, referindo-se à sua aparência física, com barba e bigode por fazer, e chamando-o de “bigode de porteiro”, demonstrando atitude preconceituosa e falta de respeito para com um atleta de ponta e, também, para com toda uma classe de trabalhadores.

O jovem líder desse grupo, garoto de classe média com cerca de quinze anos, certamente quer se destacar de alguma maneira no seu meio e impressionar seus companheiros. E, aparentemente, é adepto de um estilo de humor ultimamente tão em voga na televisão e na Internet: utilizar as diferenças desfavoráveis, segundo a sua opinião, para ridicularizar e atacar verbalmente (num primeiro momento insultos, depois, quem sabe?) pessoas surpresas e indefesas. Normalmente as vítimas dessas discriminações têm aparência física fora dos padrões de beleza impostos pela mídia, baixo nível social e baixa capacidade financeira ou são parte de algum tipo de minoria agrupada por preferência sexual, escolha religiosa, raça, etc… Nesse caso, uma atitude por si só já classificável com desumana, foi adotada de maneira covarde valendo-se do anonimato por estar no meio de uma pequena multidão e, também, do desconhecimento do nosso idioma por parte do atleta depreciado e atacado verbalmente. Fico triste sempre que presencio esse tipo de atitude.

Infelizmente, não consegui alcançar esse jovem e os integrantes do seu grupo, antes da dispersão da multidão para, da maneira mais respeitosa possível, dizer algumas palavras, fazer algumas perguntas e, talvez, provocar alguma reflexão no seu caminho de volta pra casa. Poderia ter dito:

O atleta que venceu essa competição, no dia de hoje, tem se esforçado e dado tudo de si para conquistar bons resultados. Está, no momento, fora do seu país e longe de sua família. Viaja o mundo todo participando de competições, com grande sacrifício pessoal e, apesar de todas as dificuldades, atingiu um nível de proficiência invejável. Nessa manhã, venceu de maneira inequívoca o surfista brasileiro de maior destaque e atual líder do ranking mundial. Isso é o que costumam fazer as pessoas que se destacam em algum tipo de atividade: Dar o melhor de si. Imagino que você também seja bom em alguma coisa e espero que um dia possa ter sucesso comparável, na área que escolher, ao que obteve o Jordy Smith nessa etapa do campeonato. E desejo que tenha bons resultados em outras áreas da vida também. Mas acho que para isso, pode ajudar bastante se escolher estender essa atitude vencedora – dar o melhor de si mesmo – a todas as suas atividades, sejam elas quais forem. Veja, há alguns momentos atrás, você era parte de uma plateia que assistia a uma premiação. Será que a sua atitude depreciativa era o melhor que você podia fazer em um momento como aquele?

Pausa para reflexão…

O sul-africano Jordy Smith leva para casa o respeito e admiração dos verdadeiros apreciadores do esporte e, antes que me esqueça, um prêmio de U$ 100,000 (cem mil dólares) e algumas posições a mais no ranking mundial.

Parabéns Jordy e Adriano!

Eduardo Leal
Fotos de Eduardo Leal

Público na areia, na final do campeonato.

Público na areia, na final do campeonato.

Surfistas na água, Ilhas Tijucas ao fundo.

Surfistas na água, Ilhas Tijucas ao fundo.

Vandalismo no cartaz de resultados.

Vandalismo no cartaz de resultados.

Entrevista de Adriano de Souza com Jordy Smith ao lado

Entrevista de Adriano de Souza com Jordy Smith ao lado

Premiação Jordy Smith

Premiação Jordy Smith

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: