Garrafa 105 – Metanáutica   Leave a comment

Posso te dar a Carta de Marinha.

Mas o traço que nela insinuasse

um dentre tantos rumos…

Não !

Posso te dar as Tábuas de Marés.

Mas a leve emoção de cavalgar

onda e onda após onda…

Não !

Posso te dar os Índices das Águas,

conforme as densidades.  Mas a branda

flutuação do casco…

Não !

Posso te dar a Rosa e o Timão

Mas o desequilíbrio concertante

ao balanço de bordo…

Não !

Posso te dar Exemplos de Ancoragens.

Mas o galeio do barco seguro,

retesando as amarras…

Não !

Posso te dar o Longe no Binóculo.

Mas acolá das lentes, a paisagem

convidando à viagem…

Não !

Posso te dar Notícia do Mar Calmo.

Mas o rumor das franjas no espelhado,

junto à roda de proa…

Não !

Posso te dar o Gorro Marinheiro.

Mas a pressão do linho nos cabelos,

enquanto sopra o vento…

Não !

Posso te dar a Direção da Chuva.

Mas o gosto da baga salitrada,

escorrendo no rosto…

Não !

Posso te dar Posturas de Sextante.

Mas o fulgor da estrela observada,

entre horizonte e prisma…

Não !

Posso te dar os Nomes de Alguns Peixes.

Mas o espanto de vê-los acender

fosforescente rastro…

Não !

Posso te dar Frios Conhecimentos.

Mas o que se acalenta no convívio amoroso do mar…

Não !

Geir Campos

Instruções de utilização: Ouvir Wave com Tom Jobim

 

Anúncios

Publicado 09/11/2007 por Eduardo Leal em Crenças, Ilustrações, Música, Poesia, Viagens

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: